Educação alimentar para crianças
Reeducação alimentar para todos
Postado dia 01 de outubro

Leite materno: importante para o bebê

O leite materno é o alimento mais indicado e completo para o desenvolvimento do bebê; só deve ser substituído em situações especiais. O recém-nascido deve receber o aleitamento materno, preferencialmente, até 3 horas após o parto.

leite materno

O “primeiro leite” garante a transferência de imunoglobulinas presentes em grande quantidade através do colostro. Este líquido nutritivo é nutritivo, composto principalmente por água, proteínas, anticorpos e sais minerais. O leite materno, além de nutrir o bebê, favorece o vínculo entre mãe e bebê nas primeiras horas de vida.

O aleitamento materno é ideal para a criança no seu primeiro ano de vida. Ele deve ser exclusivo (sem adição de água ou chás), até os primeiros seis meses. No segundo semestre, o leite materno continua sendo importante, mas deve ser iniciada a introdução alimentar do bebê, de forma lenta e progressiva.

Leite materno = anticorpos naturais

O leite materno apresenta concentrações ideais de calorias, gorduras e proteínas para o organismo do recém-nascido e está adaptado à maturidade do seu sistema digestivo. A amamentação fornece todos os nutrientes em quantidades ideais para o bebê, protegendo-o contra doenças e infecções, através da oferta de anticorpos naturais.

O aleitamento materno deve ser estimulado para todos os bebês, sempre respeitando à vontade, a disponibilidade e as condições maternas.

A mama é uma perfeita fábrica de produção de leite, com absoluto controle entre a demanda e a oferta. O seio é capaz de armazenar e secretar a quantidade de leite necessária para cada fase do aleitamento.

A secreção do leite obedece a um conjunto de fatores e reflexos que dependem da tríade mãe- bebê-ambiente. Logo o pós-parto, acontece uma mudança extraordinária no padrão hormonal da mulher; os níveis de estrógeno e progesterona diminuem rapidamente, acompanhados da elevação súbita nos níveis de prolactina e, posteriormente, a ocitocina. Esta variação hormonal explica porquê a composição do leite materno amadurece.

Composição do leite materno nas fases da amamentação:

  1.     Nos primeiros cinco dias pós-parto acontece a produção do colostro, um leite de coloração amarelada, mais parecida com um soro, porém riquíssimo em proteínas e anticorpos que conferem imunização natural ao bebê.
  2.     A partir do sexto ou sétimo dia o leite materno toma outra forma e composição sendo denominado leite de transição.
  3.     A partir do décimo quinto dia esse leite pode ser considerado maduro, visto que a quantidade de proteínas, gorduras e açúcares se apresentam em quantidades ideais para o crescimento e desenvolvimento do bebê.

Leite materno e dieta pós-parto

Alguns estudos sugerem que o paladar do bebê seja despertado, ainda durante a amamentação inicial. Durante a gestação e amamentação, se a mãe comer alimentos saudáveis, o bebê estará mais familiarizado com aqueles sabores, facilitando o processo de introdução alimentar complementar. O ideal é manter a dieta pós-parto.

Enquanto durar a fase do aleitamento materno, a mãe deve cuidar da própria alimentação. A hidratação e o cardápio devem ser equilibrados, sem excessos de cafeína, álcool, fumo e medicamentos sem a orientação médica. É fundamental descansar e manter o estado emocional estável, lembrando que o estresse tem grande influência na produção do leite materno. Todo esforço é sempre válido para a saúde e desenvolvimento do bebê.

Um abraço!

Nutrª. Débora Rosa (CRN3: 15777)

 

Visite a Cozinha da Nutri e conheça as nossas oficinas!

 

 

 

Deixe seu comentário: